• Webmail

Acesse sua conta de e-mail

Preencha os campos abaixo
Nome:
@sintes.com.br
Senha:
  • (79) 3303-1207

Notícias Destaque

Respondendo a nota publicada pela direção do Sindijus/SE no Facebook, que cita alguns trechos do artigo publicado em nosso site, Direção do Sindijus persegue dirigente sindical, link: http://www.sintes.com.br/site/imagem-destaque/362-direcao-do-sindijus-persegue-dirigente-sindical. A direção do Sindijus/SE, tenta justificar os atos de perseguição a Marcelo Soares, diretor do Sintes/SE, como: “cenário de inverdades”. Todavia, deixaremos tudo esclarecido e comprovado com as evidências necessárias para isso. Iremos analisar os pontos citados na referida nota a seguir:

1) Neste ponto, a direção do Sindijus/SE alega que Marcelo Soares, pleiteava redução da jornada de trabalho com uma ação judicial (Processo nº 0001960-25.2016.5.20.0009). Na verdade, este processo que está registrado na 9ª Vara do Trabalho de Aracaju, visa garantir o direito do empregado em fazer fisioterapia durante a jornada de trabalho. Vale ressaltar que na referida ação, a direção do Sindijus/SE alegou que o empregado possuía a jornada de trabalho das 07h30min às 17h30min, com duas horas de intervalo e, que desta forma, o mesmo poderia fazer a fisioterapia após o expediente. A ação segue em segunda estância. Já com relação ao desrespeito à Lei, contratar o empregado como Assistente Administrativo - CBO 4110-10 e sujeitar o mesmo a realizar tarefas incompatíveis com o cargo para o qual fora contratado é claramente ilegal, incorrendo o empregado em acumulo e desvio de função. Ilegal também é ligar para o empregado solicitando que vá trabalhar fora do horário de sua jornada de trabalho, condutas certamente reprovadas por qualquer entidade Sindical.

2) Colocar qualquer ser humano a executar uma atividade da qual o mesmo não possua condições físicas para tal, sem dúvida podemos considerar como: “práticas perversas contra o trabalhador”. Está prática pode ser observada quando a direção do Sindijus/SE, convoca através de ligação telefônica o empregado, a comparecer uma hora antes da sua jornada de trabalho, para fazer entrega de material de Campanha Salarial no Fórum Gumersindo Bessa. Vale lembrar que a direção do Sindijus/SE sabe que o empregado não pode fazer este tipo de serviço. Desta forma, diferentemente da dita preocupação que o Sindijus/SE diz ter com a saúde de seus empregados, o que fez, em verdade, foi punir, suspendendo o empregado deficiente por três dias, além de ameaçar com “extinção do contrato de trabalho por justa causa...”. Tudo isso, porque Marcelo Soares apenas cumpriu sua jornada de trabalho e disse que não tinha condições de fazer a entrega do material. Onde está a “manutenção da integridade dos seus funcionários”?

3) Marcelo Soares, é portador de deficiência física, registrado no órgão responsável com a matricula nº 2762. A direção do Sindijus/SE afirma em seu texto: “o próprio funcionário sabe que o Sindijus nunca contestou suas condições físicas” e diz também: “funcionário em nenhum momento afirmou ao Sindijus nem fundamentou”. Contudo, diferentemente do que foi descrito pela direção do Sindijus/SE, eles sabiam das condições físicas do empregado desde o dia 30/03/2013, quando o INSS enviou ofício, elencando taxativamente quais atividades o trabalhador reabilitado poderia passar a executar. Onde dizia: “Informamos que o Sr. Marcelo Soares Souza, assistente administrativo... contraindicações para atividades que demandem movimento de pinça e preensão de objetos pequenos com a mão direita.” Como se não bastasse o ofício enviado pelo INSS, na ação em que a direção do Sindijus/SE se diz vitoriosa, mais uma vez, foi dado ciência quanto ao estado físico do empregado, já que nos altos do processo, está registrado que: “necessita realizar, por tempo indeterminado, sessões de fisioterapia em ambas mãos, em razão das sequelas decorrentes do referido acidente, com a finalidade de conferir maior qualidade vida, uma vez que a fisioterapia também se presta a amenizar as dores constantes da qual é portador.” Precisa de mais fundamentação?

O Sintes/SE acredita que, atitudes sólidas, consolidadas em ações que visem agregar valores e avanços aos direitos dos trabalhadores sempre será melhor do que, discursos floridos, cheios de promessas e sem nenhuma ação prática. Queremos resolver o problema que nosso diretor está enfrentando, ele já é empregado do Sindijus/SE a quase 20 anos, ninguém fica tanto tempo em uma empresa se não for um bom trabalhador. Agora Marcelo Soares precisa de apoio, para enfrentar as dificuldades impostas por sua condição física, e jamais de uma entidade que lhe vire as costas e faça pouco caso de sua deficiência. O Sintes/SE se coloca à disposição para resolver de forma tranquila e amigável esta situação, afinal de contas, entidades sindicais jamais deveriam está passando por isso, e sim, unindo forças para fortalecer a luta dos trabalhadores.