• Webmail

Acesse sua conta de e-mail

Preencha os campos abaixo
Nome:
@sintes.com.br
Senha:

Notícias Destaque

Desde a Campanha Salarial 2018 dos empregados do Sindicatos dos Bancários de Sergipe o processo de negocial está emperrado. O Sindicato dos Bancários de Sergipe quer retirar direitos dos empregados que já são praticados mais de 12 anos. Como se não bastasse um Sindicato propor retirada de direitos, agora ele descumpre o acordo coletivo que está em vigor.
A minuta apresenta pelo Sintes/SE à direção do Sindicato dos Bancários de Sergipe em 2018 consistia apenas na manutenção do acordo e o repasse do índice de reajuste que incrementaria a arrecadação da entidade. O impasse foi criado quando o Sindicato dos Bancários de Sergipe propôs a retirada de direitos como: fim do anuênio para novos contratados, fim do auxílio alimentação após 60 dias para afastados por doença pelo INSS, a inclusão de uma cláusula específica da categoria bancária que visa ampliar a jornada de trabalho dos empregados e a retirada da cláusula que garante a manutenção do acordo até que seja firmado um novo acordo.
A forma que as negociações foram levadas pela direção do Sindicato dos Bancários de Sergipe, contraria tudo que já vimos em um processo de negociação. Na primeira rodada de negociação existiam apenas cinco pontos que precisavam de entendimento. Ao fim da primeira rodada de negociação, a direção dos bancários retirou um dos pontos de conflito, a cláusula da gratificação de função. Contudo, na segunda rodada de negociação, a cláusula retirada volta a aparecer, e outras modificações surgem em cláusulas que estavam pacificadas.
Como se não bastasse propor retirada de direitos, agora Sindicato dos Bancários de Sergipe descumpre o acordo coletivo, que está em vigor, ou seja: como ainda não foi firmado um novo acordo coletivo o antigo acordo está mantido. Desta forma o Sindicato dos Bancários de Sergipe deveria já ter feito o repasse do índice de reajustes sobre todas as verbas salariais dos seus empregados no dia 1º de setembro de 2019.
O que fica evidenciado com este comportamento: a direção do Sindicato dos Bancários de Sergipe não tem o menor interesse em buscar uma solução para o impasse. E na contramão do que defende propõe retirada de direitos de seus empregados e não cumpre com o acordo coletivo que existe a mais de 12 anos.
O Sintes/SE não se furtará em lutar para que o acordo em vigor seja respeitado e mantido. Denunciaremos e não mediremos esforços para garantir os diretos dos empregados do Sindicato dos Bancários de Sergipe. Em direitos não se mexe.